Atividade Física

Alimentação

Sedentarismo

Viva Com Saúde Total

Browse By

Quais são os tipos de ansiedade?

Você sabia que se pegarmos 10 pessoas com ansiedade, cada uma delas vai manifestar a ansiedade de uma forma? Isso acontece porque a ansiedade pode se manifestar através de diferentes sintomas. Mas, quais são os tipos de ansiedade?

A ansiedade é fundamental para a nossa sobrevivência, mas, se ela toma conta da nossa mente e começa a atrapalhar nas atividades do dia-a-dia, temos que nos preocupar. Antes de falar sobre os tipos de ansiedade é preciso entender o que é ansiedade.

O que é ansiedade?

O conceito de ansiedade pode ser definido como um sentimento de insegurança, apreensão, um temor, associado a uma preocupação excessiva com algo que ainda não aconteceu. Ou seja, é um perigo futuro, mas que pode acontecer, fugir do controle e dar errado. Então, a pessoa apresenta dificuldade para parar de se preocupar e conseguir relaxar. Essas sensações funcionam como um alerta que desperta o cérebro diante das situações que ele vai interpretar como ameaçadoras.

Como esses transtornos de ansiedade surgem?

O cérebro tem uma região chamada de amidala. Essas amidalas são dois carocinhos, e não é a amidala que fica na garganta, é a amidala cerebral. Então, quando estamos em situações de perigo, elas ficam hiper ativadas e liberam substâncias químicas, que vão se comunicar com outras áreas do cérebro, desencadeando a reação corporal do medo. Nos transtornos ansiosos, as amídalas estão muito em alerta e o cérebro não consegue inibir isso. Por isso, o tratamento medicamentoso vai incluir medicamentos que aumentam a serotonina no cérebro, porque essa serotonina vai conseguir diminuir essa ativação da amidala, controlando a ansiedade. Você sabia que existem vários tipos de transtorno de ansiedade?

1. Transtorno de Ansiedade Generalizada

Esse é o tipo de transtorno mais comum. Você se descreve como uma pessoa nervosa? Você anda o tempo todo preocupado? Vive tenso ou tem muita dificuldade para relaxar? Se você disse sim, pode ser que você tenha transtorno de ansiedade generalizada. Ele é o transtorno mais frequente, e é caracterizado por ansiedade e preocupação excessivas, frequentes e que causam muito sofrimento e prejuízo, seja no funcionamento social, profissional, ou em outras áreas importantes da vida da pessoa, por pelo menos, seis meses.

A pessoa fica em um estado de alerta constante. Além disso, pode apresentar: irritação, inquietação, cansaço excessivo, tensão muscular, dificuldade de concentração e insônia.

2. Transtorno de Ansiedade de Separação

Esse transtorno é mais comum em crianças, mas, pode haver adultos com esse problema também, apesar de ser mais raro. Ele é caracterizado pelo medo e ansiedade excessivos em relação à separação por apego. Esse apego pode estar relacionado à uma pessoa, um animal, um objeto ou até mesmo um lugar.

Quando separadas das figuras importantes de apego, as crianças diagnosticadas podem ter dificuldade em socializar, interagir com outras pessoas, podem ficar apáticas, tristes, com dificuldade de concentração. Além disso, dependendo da idade, elas podem criar medos excessivos de animais, monstro, escuro, ladrões, acidentes ou outras situações que representem perigo para ela.

As pessoas com esse quadro acabam limitando as suas atividades independentes quando estão longe de casa ou das figuras de apego. Então, muitas vezes, elas não querem realizar nem tarefas básicas, como ir à escola.

3. Mutismo Seletivo

Esse transtorno está entre os tipos de ansiedade e também é mais comum em crianças. Pessoas com mutismo seletivo, ao se encontrar com outras pessoas nas interações sociais, não conseguem conversar ou responder quando outras pessoas falam com elas. Esse quadro pode também persistir na vida adulta, apesar de ser mais comum nas crianças, e as situações de relacionamento interpessoal são marcadas por uma forte sensação de ansiedade. Por isso, eles acabam ficando prejudicados quanto à relação com outras pessoas, ou no desempenho no trabalho ou escola. Então, a dificuldade na fala acaba interferindo também na comunicação social. Embora as crianças com esse transtorno geralmente tentem se comunicar de outra forma que não a verbal, como, por exemplo, usar as mãos para se comunicar.

4. Fobia Específica

Algumas pessoas experimentam um medo incontrolável de altura, elevador, avião, barata, cobra, aranha e outros insetos. E você? Você tem algum tipo dessas fobias?

A fobia é um tipo de transtorno de ansiedade. Ela é uma sensação de medo excessivo em situações específicas. Ou seja, é desproporcional ao fator desencadeante, é irreal, porque não tem um perigo real, e é persistente. A fobia aparece, muitas vezes, antes mesmo de a situação acontecer.

Se a pessoa tem medo de injeção, ela não vai conseguir nem deixar que outra pessoa aplique nela uma vacina. Pois, ela terá sintomas fortes de pânico. Uma pessoa que tem medo, mas que não é patológico, consegue lidar de uma forma melhor, mas, na fobia o medo é muito intenso.

5. Fobia Social

Você se inclui entre as pessoa que têm medo exagerado de ser observado por outras pessoas? Você faz o que pode para não comer, falar ou escrever na frente dos outros, com medo de se sentir envergonhado? Se você respondeu sim, você pode ter fobia social.

A fobia social é o nome dado ao medo e ansiedade exagerados de ser exposto a uma avaliação e observação das outras pessoas nas situações sociais. Por isso, as pessoas começam a ficar cada vez mais reclusas. Além disso, a ideia de ser confrontado com tais situações desencadeia uma ansiedade antecipatória. Então, a pessoa já começa a pensar antes de acontecer, por medo de reagir de uma forma humilhante ou embaraçosa.

Fonte: Ansiedade

AVISO LEGAL

O conteúdo disponibilizado neste Portal tem caráter educativo e Informativo, visando ao esclarecimento de dúvidas em relação a medidas preventivas de saúde, exames diagnósticos, tratamentos e problemas de saúde diversos, baseado em pesquisas realizadas em diversas fontes disponíveis na Internet. As informações constantes dos vídeos e Artigos publicados nesse site não substituem consultas a profissionais médicos, nem têm por objetivo ou devem ser interpretadas como diagnóstico, recomendação de plano de tratamento e muito menos prescrição de medicamentos. Em caso de dúvidas, procure seu médico.

Selecionadas Pra Você

    • This category has no posts!

Selecionadas Pra Você